segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Aeromodelismo: Preconceito, Clubes, Associações e Confederações



 

SERÁ  PRECONCEITO ?

Vou chover no molhado. Sabemos que o aeromodelismo, conforme praticado, pode ser considerado hobby ou esporte, mas acima de tudo é congraçamento de pessoas que gostam da aviação-esporte-ciência.

É esse congraçamento, ao meu ver, o melhor meio que se tem para torná-lo mais conhecido, especialmente  como esporte, e  serem ampliadas as possibilidades de seu desenvolvimento.
O que às vezes complica e limita esse caminho, contudo, é o que chamo de PRECONCEITO.
 Sim, preconceito de alguns aeromodelistas e dirigentes de clubes que  considerando importante apenas a modalidade que praticam, ao contrário, se isolam.  Ficam reduzidos a pequenos grupos.

Num  passado recente, a diretoria da Associação Brasileira de Aeromodelismo e eu, como seu presidente, trabalhamos para reunir competidores de Voo-Livre, U-Control e Rádio. Com muita luta conseguimos o feito já através dos Campeonatos Nacionais e Sul americanos que se realizaram inicialmente em Brasília.
 A ideia a princípio parecia maluca, mas tomamos como base as competições de atletismo nas quais são realizadas diversas provas ao mesmo tempo e no mesmo lugar. Juntando tudo, o número de inscritos seria grande atraindo maior público/ publicidade e os bons olhos das autoridades.
No caso do Sul-americano, os 10 países participantes - informados e convidados por radioamador (não tínhamos  Internet) - se encantaram com a ideia. Todos participaram.
Os vários problemas de organização foram  analisados e resolvidos pelo rádio, em varias reuniões com os dirigentes de todos os países. Uma das resoluções tomadas: os juízes das provas seriam os participantes das outras modalidades ( sem prejuízo de sua atuação esportiva, é claro)  e  "sem preconceito". Obrigação imposta a todos inscritos e que foi realizada com sucesso, assim como os campeonatos de forma geral.
Acho que a ideai deu certo. Gostaria, porém, de poder contar aqui neste blog também com a opinião daqueles que como participantes vivenciaram os eventos assim realizados.
 Uma coisa é um Campeonato de uma modalidade  com bons, mas  poucos participantes e outra é reunir muitos aeromodelistas num Grande  Campeonato com a presença expressiva do público e ótima divulgação na imprensa. Muitos Prefeitos se manifestaram oferecendo suas cidades para sediar  um evento inusitado, dessa magnitude, alguns argumentando como seria importante para o local a realização de  um campeonato tão diferente e pouco conhecido como o aeromodelismo.  Era difícil fazer a escolha com tantas ofertas.
Tínhamos transporte, alimentação, hospedagem, pistas e locais para as provas, auditórios para solenidades etc. Era só arregaçar as mangas, e assim fizemos.
E assim foram realizados ótimos  Campeonatos dos quais temos belas lembranças, por ex. os de Uberlândia (duas vezes), Boa Vista - Roraima, Uruguai e  Argentina. Oportunamente contarei algumas curiosidades sobre eles.

Sinto muito que tudo isso tenha sido abandonado, não sei se por  desinteresse de dirigentes ou das autoridades que se afastaram do aeromodelismo por falta de notícias ou contato.
Vejo hoje ótimos diretores de clubes que se esforçam para manter ativo o esporte, mantendo boas sedes. Mas  talvez o que chamo de PRECONCEITO ainda  inviabilize a idéia dos grandes congraçamentos.
Vou insistir e continuar escrevendo sobre a importância dos Clubes, Associações, Federações e Confederações para justificar e manter perante nossas autoridades civís e  militares,  o titulo de que AEROMODELISMO é também um ESPORTE, reconhecido após 12 anos de luta.