sexta-feira, 23 de novembro de 2012

MODELÓDROMO - PARTE FINAL

 
 
 
 

Modelodromo - Parte final

                                                         Placa da Prefeitura no local


Como esclareci em artigo anterior, quando  ocorrem problemas com o Modelodromo, sendo
veterano e criador do local, sou solicitado a ajudar e resolver situações complexas com  autoridades,
como por exemplo:

Em 1992  Luiza Erundina era Prefeita da cidade. Simplesmente, um dia  ela deu ordens para que o Modelodromo fosse fechado.  Me telefonaram pedindo ajuda urgente. Perguntei qual a razão da ordem. Informaram  que  em visita ao local ela considerou aquele espaço, que é tão nobre na cidade, pouco usado pelos modelistas.
 
Imediatamente telefonei para  o  amigo Maj. Brigadeiro Sócrates Monteiro, na ocasião Comandante do 4º Comando Aéreo, pedindo socorro. Um encontro agendado pelo seu suboficial e já no dia seguinte estávamos defronte à Prefeita. Esclareci da enorme dificuldade enfrentada junto à Prefeitura para conseguir a  construção daquele Centro de Modelismo e do grande interesse da Aeronáutica  para incrementar  nos jovens a vocação  para as carreiras militares. Argumentei que a ausência de praticantes nos dias de semana  era devida ao fato de ser a maioria deles estudantes ou  trabalhadores, o que ocorria normalmente em todos os esportes amadores.
A Prefeita solicitou mais alguns esclarecimentos sobre o funcionamento das atividades no local.
Em seguida, chamou seu Secretário de  Esportes Sr. Juarez Soares e ditou:

Decreto nº  31.343, de 20 de Março de 1992 - revigora o Decreto  nº 17.149, de  26  Janeiro de 1981, que permitiu  o uso de área Municipal à Federação Paulista de Aeromodelismo, e revoga o Decreto nº 22.243, de 23 de Maio de 1986. LUIZA ERUNDINA DE SOUZA, PREFEITA.

Assunto solucionado.

No ano de 1996 os jornais da cidade estamparam a notícia:  PISTA DE RALLY  ESBURACA  ÁREA MUNICIPAL - (Modelodromo). No dia seguinte, a subprefeitura de Vila Mariana fecha o local e manda o aloprado responsável pelo esburacamento tapar o buraco,  refazer  o jardim   desaparecer com o trator que acabara com o gramado. E, lógico, abriu inquérito. Prato cheio para imprensa, e para a oposição da Prefeitura na Câmara Municipal.
 
O aloprado, um nautimmodelista que se intitulava presidente da Federação (desde que ela se achava sem presidência constituída na ocasião), resolvera fazer uma pista de Rally para Jipes ladeando o tanque de nautimodelismo. No escândalo da situação, ele sumiu. O vereador Aurélio Miguel, presidindo a comissão de inquérito formada a respeito, convocou a mim para dar esclarecimentos. Lá fui eu sabatinado por mais de três horas por vários vereadores. Deixei documentos e fotos contando a história do Modelodromo, as quais foram juntadas ao inquérito.
 
O local foi reaberto com inúmeras  restrições.

Ano de 2007 
Os jornais publicaram reclamações de moradores vizinhos com fotos do Modelodromo. No local circulavam marginais, viciados, famílias de desabrigados que utilizavam o tanque de nautimodelismo para lavar roupa e tomar banho. Os nautimmodelistas não podiam mais pôr seus barcos na água. Suas belas reproduções sofriam ameaças de quebra.  Foram constantes as noticias  nos jornais.
 Uma lástima. Escrevi uma missiva para o então Prefeito José Serra.
Fui encaminhado ao  Secretário de Esportes Dep. Walter Feldmann que me atendeu prontamente e prometeu resolver o problema. Realmente, mandou imediatamente reformar todo o conjunto do Centro com pinturas novas, limpeza dos jardins e a construção de duas salas novas onde instalou escolas de modelismo, uma ideia sua. Até um serviço de segurança foi providenciado. Melhor seria impossível. Um  politico de palavra. Coisa rara.

O Modelodromo reformado continua em ordem, hoje é um CDM, clube desportivo da Prefeitura, mas sofre os mesmos problemas de sempre.  Um deles é a falta de entrosamento entre as modalidades que lá atuam onde cada um decide o que é melhor para si.  Continua um espaço precioso da cidade, ocupado por poucos e decorridos tantos anos, os cidadãos que vivem em São Paulo não conhecem o local.
Público nas belas arquibandas  construídas em concreto é quase  sempre ZERO. E não tem o que apreciar.

Acredito que o  pior dos problemas, porém, é falta de direção. Quando foi inaugurado o Centro, a Prefeitura permitiu que ficasse sob a direção da Federação Paulista de Modelismo.   Naldoni, o fundador da Federação, por razões de trabalho afastou-se do modelismo. Eu segui para a presidência da ABA dedicando-me ao aeromodelismo e passei a frequentar menos o Modelodromo.
 
Nos  anos que se seguiram, a presidência da Federação passou por vários modelistas.
Não sei  qual a razão, nem quando, um  presidente da FPM resolveu alterar os estatutos da mesma que passou a ser Federação Paulista de Aeromodelismo.  Um desastre total. Daí para frente o que aconteceu? Virou bagunça, brigas entre os praticantes. Sem regras definidas e sem comando. O dirigente da FPA passou a só se interessar por aeromodelismo. E o restante?
 
Quando foi criada a FPM conseguimos juntar forças com as cinco modalidades diferentes. A Federação teria um Presidente e as  modalidades Aero, Auto, Férreo, Nauti e Plasti teriam seus associados utilizando cada espaço especial e um representante junto ao Conselho da Federação.
Significava juntar forças de todos para a organização e o aumento de frequência  cada vez  maior numa cidade com mais de 12 milhões de almas.

Recentemente visitei o Modelodromo num final de semana prolongado, levando minha bisneta para brincar com uns aviões de papel que fiz para ela. O que vi foi um desalento.

Vamos lá.

10 horas da manhã:

CACHORRÓDROMO - Fica onde originalmente foi traçada  uma pista para o funcionamento de automodelo ou ferreomodelo escala grande. Funcionando bem, com  um guarda  no portão, é organizado pelos moradores vizinhos para uso de seus lindos cães  E bem limpo. Certa vez foi até alugado  para festas e competições de Pit-Bulls.

NAUTIMODELISMO - Alguns barcos e veleiros, rádio controlados,  faziam manobras. Nenhuma explicação para os poucos que  os apreciavam.  Bem,  pelo menos estavam lá utilizando o tanque.

AEROMODELISMO  - Dois praticantes, um em cada pista, treinando sozinhos para suas  eventuais
competições.  Pistas exclusivas só para eles. Sem treino para iniciantes. Quase deserto num final de semana.

AUTOMODELISMO -  Administrado por profissional que cobra o uso das pistas que é propriedade da  Federação. Estava totalmente vazio.

PLASTIMODELISMO - Tudo fechado.

FERREOMODELISMO -

Com dois (acho)  dirigentes e todas  AS MAQUETES desmanchadas,  de todas as bitolas. Antes haviam várias bem montadas, com bitolas diferentes para eventual uso e apreciação do público.
Estão construindo novas e se houvesse algum visitante, não teria o que ver. Faltou previsão administrativa para exibição. Afinal é um espaço público, é da Prefeitura, não um clube fechado para poucos. 
No andar superior do prédio existe uma sala onde funcionava a diretoria da Federação e o  local de reuniões. 
Não sei como, conseguiram reformar e transformar num espaço particular de ferreomodelismo para instalação  de maquetes pequenas, com dois banheiros para uso exclusivo da modalidade.
Aliás, não há mais nenhuma sala da Diretoria da Federação. Mesmo porque fecharam a Federação. O nome de Federação que está sendo usado junto à Prefeitura, é o nome de um clube particular.
Quando necessitam discutir algo de interesse geral, encontram-se no barzinho do subsolo. E mais: material de escritório,  de competições,  fichários, mesas, cadeiras, máquinas de escrever, troféus ?  Sumiram.
 
Já imaginaram se ao invés de ser eu a visitar o local fosse um dirigente da Prefeitura? Já estaria fechado.

PRAÇA EISENHOWER

Lembram-se? quando foi inaugurada, a praça onde fica o Modelodromo recebeu o nome do Presidente Americano.  No local próximo ao tanque de água, foi construído um pedestal de concreto com a placa alusiva ao evento.
Pois bem, o pedestal lá está mas a placa foi roubada. Que bela homenagem nós paulistanos prestamos!

Recentemente, apenas como um veterano aeromodelista que sou, aproveitei  o encontro que tive com o atual Secretário de Esportes do Município no clube PANATHLON, do qual sou associado, e entreguei a ele um histórico do Modelodromo, incluindo sugestões para a administração do local,  caso venha a saber dos  problemas, e mal informado mande instalar ali um Parquinho de Diversões.
Nunca soube se ele sequer leu alguma coisa.

 Agora vamos ter a partir de Janeiro de 2013, novo Prefeito e novo Secretário de Esportes.
Se a comunidade de modelistas não estiver atenta à boa organização e utilização do MODELÓDROMO, o jeito é rezar para Todos os Santos. A não ser que todos prefiram  ter um Parquinho naquele espaço.

Acreditem, meu objetivo não é lavar roupa suja. É apenas um desabafo de alguém que luta  pelo modelismo nacional.

Caros leitores, informo que serei operado na próxima semana. Com  a idade avançando, ando  mal das pernas e o médico, meu sobrinho ortopedista,  quer trocar algo nos meus quadris. Vocês sabem, carro velho de vez em quando tem que trocar os amortecedores. Assim, como vou rezar pelo Modelodromo, aproveito para rezar também para que tudo corra bem  na cirurgia e eu possa  (se me aturarem)  em breve voltar a escrever estas bobagens no Blog.

 TCHAU